Viva em Santidade!














Texto Base: Levítico 11:45

Introdução: A religiosidade distorceu o verdadeiro sentido da palavra santidade, impondo um jugo pesado, um padrão de comportamento e de linguagem e até mesmo de vestuário quase que inatingíveis. Muitos literalmente pensam que é impossível ser santo contrariando inclusive a Palavra que recebemos em I Pedro 1:15-16 “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo”.

Se fosse impossível ser santo Deus certamente não pediria isso ao seu povo. É possível ser santo, é possível andar de acordo com os padrões que o Senhor estabeleceu, é possível dizer não pecado. Santificação é um processo que se inicia no dia em que você aceita Jesus e que nos acompanha todos os dias. Precisamos estar abertos sempre a cura, a libertação, ao tratamento de Deus.

Ser santo é possível, alcançamos a santidade quando:

1) Mortificamos nossa carne

O diabo trabalha dia e noite preparando e apresentados pratos que são atraentes a visão e ao paladar da nossa carne. Diariamente ele e os demônios se apresentam aos filhos de Deus oferecendo gratuitamente pratos de sedução, lascívia, prostituição, vícios e tudo o que tem poder de afasta o homem de Deus. Precisamos mortificar a carne.
Há uns anos atrás ouvi a história de um homem que decidiu criar uma cobra. Por longos anos o homem treinou o animal permitindo que ela se enrolasse em seu pescoço. O animal foi crescendo e um dia mostrando a sua família a habilidade que possuía em domar a serpente, teve o seu pescoço apertado muito mais que o normal, ainda tentou esboçar um grito, mas todos pensavam que se tratava de uma performance, não deram a devida importância e ele caiu sufocado pelo abraço da serpente.

O que aprendemos com isso? A serpente será sempre uma serpente e a carne será sempre carne. Não adianta pensar é possível controlar, domar, domesticar a carne, porque ela vai se fortalecer e vai matar.

É necessário mortificar a carne é por isso que o apóstolo Paulo escrevendo aos Cl 3.5-6 deixou bem claro: “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; 6  por estas coisas é que vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.”

2) Fugindo da tentação

Não existe ninguém nesse mundo que não tenha uma área de fraqueza, uma área vulnerável. Não podemos simplesmente bater no peito e dizer que somos imbatíveis, fortes o suficientes para enfrentar e vencer qualquer tentação.

Em Mateus 26: 41 o próprio Jesus reconheceu que a carne é fraca. Ao invés de triunfalismo, precisamos de vigilância, de prudência.

José quando foi tentado pela mulher de Potifar, não tentou argumentar, não confiou na sua determinação, não fez nada disso, ele simplesmente correu. Em muitas circunstâncias é preciso fazer exatamente o mesmo correr da tentação.

Conclusão: A santidade é uma arma poderosa que nos permite viver vitoriosamente. Lute com todas as forças contra o pecado. É possível ser santo!

Compartilhar: