Unção de Conquista



Texto Base: 1 João 2:27

Introdução:  Há sobre cada servo de Deus unção para conquistar. O inimigo sabe disso e desde o Éden luta para roubá-la. São muitas as armas utilizadas por ele para cumprir esse propósito, mas uma das mais terríveis é a religiosidade. Isso fica evidente quando nos deparamos com aqueles que movido por essa maldição abrem a sua boca para dizer que o crente tem que se conformar com a miséria, a pobreza, a escassez. Muitos literalmente se levantam contra os nossos líderes dizendo que eles só falam de prosperidade, como se prosperidade fosse algo que não agradasse a Deus.

A religiosidade leva o ser humano ao conformismo, pois superestima a força do adversário. Todo religioso tem sempre o mesmo discurso: “o que é difícil, o que exige esforço, não vem de Deus”. Eles esquecem que não existe conquista sem batalha, sem guerra.

Deus te escolheu para que você seja um referencial do poder dele aqui na terra, porém, ninguém é um referencial de Deus se não for uma pessoa de sucesso, se não for um guerreiro, se não tiver coragem para enfrentar os desafios. Hoje é dia de conquistar, amanhã é dia de conquistar e até a volta de Jesus é tempo de conquistar.

Como identificamos que essa unção está sobre alguém?

Primeiro: Na motivação de alcançar as promessas de Deus

Aquele que tem a unção de Deus está sempre animado, motivado, não tem em seus lábios nenhuma palavra negativa que deponha contra sua fé, ao contrário tudo o que se ouve de sua boca são expressões que fortalecem que o inspiram a prosseguir.

Num ano como o que estamos vivendo em que literalmente estamos debaixo de uma promessa de conquista, temos que manifestar essa unção. Precisamos agir como Calebe, companheiro de luta de Josué. Ele recebeu a promessa aos 40 anos de idade que conquistaria Hebrom, 45 anos se passaram e aos 85 dizia que estava com mais vigor e mais disposição para lutar e tomar posse do território que Deus havia reservado para ele. (Josué 14:6-14).

O nível da motivação determina o nível da conquista, e pensando nisso quero te dar três conselhos práticos:

1-  Ao acordar, entregue seu dia nas mãos do Senhor. Tudo o que começa bem, tem tudo para continuar bem. Ore, leia a Bíblia, não aceite que seu dia comece sem que sua alma e seu espirito estejam alimentados. Entenda que é nesse momento que alguns chamam de devocional que você receberá diretamente do Pai força, direção e esperança.
Um grande evangelista chamado Moody considerava esse tempo como “a hora tranquila”.  

2- Saia de casa motivado, entre no seu local de trabalho, na sua empresa, na faculdade com a certeza de que você está cada vez mais próximo dos teus objetivos, das tuas metas. Passe o dia profetizando, se fortalecendo em Deus, se alimentando da fé.    

3- Ao retornar para casa, ainda que algo não tenha ocorrido da forma que você imaginou, isso não significa que deu “tudo errado”, por isso em nome de Jesus evite a todo custo, levar esse tipo de informação distorcida para o seu cônjuge e filhos. O que aos seus olhos pode “não ter dado certo” num dia, não significa que no outro com o emprego de uma outra estratégia, de outro plano não virá e será ainda melhor.


Conclusão:  Em qualquer circunstância, como aqueles que estão debaixo da unção de conquista, nossa postura deve ser sempre a que o salmista recomendou “Espera pelo Senhor, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor”.  (Salmos, 27:14)

Compartilhar: