Nova Unção

Texto Base: II Reis 2: 1-12

Introdução: Com o passar dos dias, semanas, meses, anos, novos desafios vão surgindo a nossa frente e com eles  a necessidade de uma nova unção.

Não podemos esquecer nunca que recebemos de Deus a  missão de expulsar demônios, restaurar vidas, curar os enfermos. Missão essencialmente espiritual e que só pode ser cumprida com a capacitação sobrenatural do Espirito de Deus.

Sem a UNÇÃO, estamos suscetíveis a paralisia, a frieza, a derrota, ao pecado, mas com unção nos fortalecemos e vencemos as astutas ciladas do inimigo. A unção é o maior tesouro que o homem pode possuir, é o fruto da comunhão com o Espírito de Deus.

Enquanto Eliseu caminhou ao lado de Elias, os desafios enfrentados por ele eram menores, mas com a partida de Elias, seu ministério entraria numa nova etapa, onde os desafios seriam maiores e havia a necessidade de  uma nova unção.

Elias transferiu a unção que estava sobre sua vida para Eliseu, mas a unção só pode ser liberada por que Eliseu tomou algumas atitudes que permitiram a ação do Espírito de Deus em sua vida.

Primeira: Eliseu rompeu com o passado

I Reis 19:19  Partiu, pois, Elias dali e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele; ele estava com a duodécima. Elias passou por ele e lançou o seu manto sobre ele.
20  Então, deixou este os bois, correu após Elias e disse: Deixa-me beijar a meu pai e a minha mãe e, então, te seguirei. Elias respondeu-lhe: Vai e volta; pois já sabes o que fiz contigo.

Receber unção é uma conquista, há um preço a ser pago. Eliseu pagou um preço, se desprendeu dos valores terrenos, rompeu com o passado, ousou tirar a sua confiança dos bois que possuía e entregou-se incondicional ao Senhor.

Tem muita gente que quer a unção, mas conserva a sua identidade presa a religiosidade, presa ao humanismo.

Deus não tem compromisso com a religião ou com os nossos conceitos. Deus tem compromisso com a sua Palavra e com aqueles que decidem entregar-se incondicionalmente a Ele. E são poucos os que têm a coragem de semear a sua própria vida, de lançar seu livre arbítrio diante do trono para viver por fé.

Segunda: Elizeu valorizou o princípio da cobertura

É interessante que quando Elias estava para ser levado ao céu, ele pede a Elizeu que ficasse em Gilgal. Mas o desejo de Eliseu era tanto por receber a unção que ele responde a Elias: não te deixarei. Por mais duas vezes Elias faz o mesmo pedido em Betel e em Jericó, mas a resposta de Eliseu foi a mesma: não te deixarei.

Eliseu caminhou ao lado de seu discipulador quando foi a Betel que significa casa de Deus, quando foi a Jericó uma cidade que carregava um estigma de maldição e quando foi ao Jordão um lugar de desafios. Esta atitude mostra que quem quer o mover do Espírito Santo precisa ter um mentor e caminhar ao seu lado, pois sem mentoria não há transferência de unção.

Conclusão: Para vencer os grandes desafios é necessário uma grande unção. Hoje Deus vai renovar a unção sobre sua vida te capacitando para um tempo de grandes vitórias.

Compartilhar: